Arquivo da tag: Parque Vila Ema

Apresentação do Movimento pelo Parque Vila Ema

Segue o link da apresentação feita no Galpão Cultural Independência.

Contém um resumo dos principais acontecimentos nesses 7 anos de movimento.

Vale a pena relembrar nossas conquistas.

https://docs.google.com/presentation/d/1bsqaCMcKX01YHE4obe0fb2Gld018CBXnpUjCfSPUFto/edit#slide=id.p3

 

Anúncios

Vitória! – Decreto de Utilidade Pública renovado

Boa notícia! O DUP do Parque Vila Ema foi renovado pelo prefeito em exercício Bruno Covas, após o compromisso do Secretário do Verde, Gilberto Natalini, em dar prosseguimento ao processo. Não podemos deixar de citar a vereadora Juliana Cardoso que deu todo o apoio ao movimento para que este passo fosse dado.

Agora é seguir a luta para que seja feita a desapropriação. Lembrando que a área é ZEPAM (Zona Especial de Proteção Ambiental) e seu valor deve ser proporcional aos 10% passíveis de construção.

decreto-57798-de-25-07-2017-ParqueVilaEma

Novo Decreto de Utilidade Pública

Boas notícias.

Já temos o processo na prefeitura para um novo Decreto de Utilidade Pública (DUP) para a área do Parque Vila Ema.

Esta é uma antiga promessa do governo Haddad e que esperamos que seja cumprida antes do término da gestão.

Pode-se consultar o processo através do site da prefeitura de SP.

Número do processo: 2016-0.246.711-7

http://simprocservicos.prefeitura.sp.gov.br/Forms/DadosCadastrais.aspx

novo-dup

Poema para o Parque Vila Ema

Parque Vila Ema também é cultura! Em 2011, após um dos abraços ao terreno do parque, nosso amigo Osvaldo Higa, poeta da região, escreveu esse poema. Ele está no livro “Alma Peregrina e Sonhadora de um Poeta” do nosso outro colega de movimento, o grande Avelino Toffano.

b6509fa1-86ff-469b-a25f-18b242de11a1.jpg

AQUELE ABRAÇO

Homenagem ao Parque da Vila Ema
Contribuição de Osvaldo Higa

Perto de espigões crescentes,
resiste um abrigo verdejante
fruto de árvores remanescentes
parte da mata que fora antes
morta por mãos inconsequentes,
testemunhada por caminhantes.

Uvaia, pau-pombo, guaçatonga,
comboatã, cedro-rosa, tapiá,
grumixama, jerivá, pitanga,
pau-viola, palmito, jatobá,
milho-de-grilo, cambuí, canela
e mais pés que vemos da janela.

Na teimosia mata pequenina,
alimentada por oculta nascente,
vivem grilos e formiguinhas,
insetos livres de repelentes.
Minhocas, aranhas e besouros
foram quadros de tesouros.

Periquito, corruíra, rolinha,
coruja, joão-de-barro, gavião,
papagaio, maritaca, coleirinha,
beija-flor, bem-te-vi, falcão,
tico-tico, sanhaçu, mandarim,
quero-quero, anu-preto, chupim.

Tem também sabiá e pardalzinho,
caga-sebo, pomba-rola, urubu,
nas copas constroem seus ninhos
também a andorinha e o anu.
A tudo isso fomos todos abraçar
pra essa flora a fauna preservar.

Um gigante abraço de proteção
para ser nosso esse vital espaço
com jovens e velhos dando as mãos
e dizer não a um grande embaraço.
Lutar por ideais e, sem que se tema,
vamos construir o Parque Vila Ema

AT. 24/05/2011